Pandemia modifica espaços de trabalho

As pessoas sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções do coronavírus, aponta estudo da Universidade de Columbia. A suspeita de que os casos assintomáticos eram o motor da epidemia foi levantada já no começo do surto da Covid-19.

Por isso é tão importante que todos se protejam, evitando ambientes com aglomeração de pessoas.Como consequência, uma nova forma de trabalho está emergindo dessa crise. A começar pela adoção em grande escala de home office e de uma forma diferente do tradicional coworking. “Os espaços compartilhados são uma conquista da nova economia, por que democratizam o endereço profissional.

Quem não tem dinheiro para montar um escritório, uma sala, uma clínica, pode alugar espaços com infra-estrutura e tocar seus negócios. Mas agora isso já não basta. É preciso ter acesso a salas privativas, com segurança sanitária, sem aglomeração de clientes”, destaca o empresário Edson Casas, CEO do Spa de Beauté.

A proposta de privacidade está na origem do projeto idealizado por Casas e por sua sócia, a esteticista Jessica Pfaffenzeller. O diferencial que trouxeram ao mercado são as salas privativas, e ele nasceu da percepção de que muitos clientes dessa área deixam de marcar horário para procedimentos e serviços ao saber que serão atendidos em salas coletivas.

A dentista Sabrina Bedin também faz procedimentos estéticos, como aplicação de botox, microagulhamento e preenchimento com ácido hialurônico. Para esses procedimentos, ela trocou o consultório odontológico pelo aluguel de uma sala no espaço de coworking Spa de Beauté, localizado no Jardim Botânico, em Curitiba.

Além da vantagem de pagar apenas pelo tempo em que ocupa a sala, ela destaca a segurança. “Mesmo com todas as precauções, o consultório é naturalmente um ambiente mais contaminado, onde ocorrem cirurgias e há disseminação de bactérias e vírus pela transmissão indireta. Aqui meus pacientes de estética estão a salvo de qualquer exposição”, explica.

Como o foco do espaço são os procedimentos estéticos e relacionados à beleza e saúde,  são muitas as exigências de estrutura e equipamentos, de separação e destinação correta dos resíduos, liberações e certificadas da Vigilância Sanitária. As sete salas do Spa de Beauté são preparadas para receber diferentes tipos de profissionais, desde a área médica, até tatuadoras, cabeleireiras, massoterapeutas, esteticistas, maquiadoras e, também, psicólogas, terapeutas, advogadas e cerimonialistas.

Para Sabrina Bedin, a sofisticação do espaço também é importante para manter os pacientes fiéis ao tratamento, mesmo nesse momento de restrição a deslocamentos. “O ambiente contribui muito. Tem recepção, capuccino, água, é bonito, confortável, com ar-condicionado. Eu ganho tempo, confiança e credibilidade”, diz a dentista.