“As palavras têm sexo. Amam-se umas às outras. E casam-se. O casamento delas é o que chamamos estilo”  
(Machado de Assis, O cônego ou a metafísica do estilo, 1896)