Descarte correto de lixo eletrônico

Com um aumento na média de 4% ao ano, o lixo eletrônico é um dos resíduos que mais cresce no mundo.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil é o segundo maior produtor de lixo eletrônico do continente americano e o sétimo no planeta, com 1,5 milhão de toneladas por ano.

Em um momento em que o isolamento social é essencial, a Lorenzetti, uma das maiores indústrias de eletroeletrônicos do país, apresenta dicas de como fazer o descarte consciente dos resíduos, mantendo todos em segurança:

Preparo e cuidado. O primeiro passo é separar os aparelhos elétricos e eletrônicos do lixo reciclável (garrafas plásticas, embalagens, potes de vidro, etc) e do lixo orgânico, pois cada um deles tem uma destinação adequada e a ação facilita o processo de reciclagem.

Momento do descarte. A recomendação é que o consumidor nunca desmonte os produtos antes de descartá-los corretamente. Se o aparelho contem baterias ou pilhas, como celulares, notebook, etc., a indicação é mantê-las no produto, pois esta separação será realizada posteriormente durante a triagem. Para as pilhas comuns, basta descartá-las soltas ou devidamente armazenadas em uma caixinha de papelão ou caixa de suco ou leite usadas e encaminhá-las a qualquer ponto de coleta.

Mais fácil do que você imagina. Uma das principais gestoras de eletroeletrônicos para reciclagem no Brasil é a Green Eletron, fundada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, que possui uma série de Pontos de Entrega Voluntária, encontrados nos principais shoppings, supermercados e lojas de diferentes departamentos de diversas cidades brasileiras.

Os interessados podem encontrar os pontos mais próximos no site https://greeneletron.org.br/localizador