Hospital IPO lança teleconsulta 

O Hospital IPO tem o primeiro atendimento em teleconsulta do Paraná em otorrinolaringologia e subespecialidades, o IPO Conecta.

A novidade é uma evolução em relação às teleorientações que eram oferecidas desde o dia 23 de março; desde então, a instituição atendeu mais de 3,5 mil pessoas gratuitamente, por conta do período de isolamento social da COVID-19, o novo coronavírus.

O IPO Conecta foi criada em uma parceria entre o hospital e a startup ConectaDoc, plataforma em que serão realizados os atendimentos.

“Fomos pioneiros lançando um canal de teleatendimento no Paraná e, agora, seguimos ampliando esse serviço de forma particular para proporcionar praticidade, comodidade e acessibilidade aos pacientes”, explica Rodrigo Kopp Rezende, coordenador de telemedicina do Hospital e um dos fundadores da ConectaDoc. “É uma forma complementar de atuação médica e não concorre com o atendimento presencial. Continuamos trabalhando normalmente”.

Após a teleconsulta, o paciente pode encaminhar a receita digital, via email, para uma farmácia e receber seu medicamento em casa. A modalidade de consulta por vídeo também pode ser usada para retorno de avaliação ou, ainda, pré-consulta. “Muitas vezes, médico e paciente não se encontram na mesma cidade. A tecnologia aproxima e evita deslocamentos desnecessários”, frisa Rezende.

Tipos de telemedicina

Teleconsulta – modalidade que consiste no atendimento médico, em que é realizada a avaliação e diagnóstico. Caso haja necessidade de tratamento, ocorre a prescrição de medicamentos por meio de receita e atestado, ambos com assinatura digital.

Tele orientação – consiste na orientação do paciente, na função de triagem em que não é realizado o diagnóstico e nem a prescrição de medicamentos. “Em um primeiro momento, para auxiliar nossos pacientes e a população em geral, dispusemos dessa modalidade de atendimento, de forma gratuita, visto que ainda não era utilizada em Curitiba, para evitar que aqueles que tivessem dúvidas por conta do Coronavírus não precisassem se deslocar sem necessidade ao atendimento físico”, reforça.

Teleinterconsulta – A telemedicina ainda prevê o auxílio na realização de atendimento de forma conjunta a outro médico, a chamada teleinterconsulta. É uma situação em que, por exemplo, um médico especialista atua junto a um médico clínico geral, principalmente quando não há a oferta da especialidade necessária.

“Contamos com um corpo clínico altamente especializado então podemos atuar junto a outros médicos que realizem o atendimento primário em qualquer parte do país. São locais em que, geralmente, há carência de especialistas”, afirma Rezende. De acordo com ele, esse também é um serviço que será ofertado pela plataforma.