Home office pós COVID-19

Muitos países estão passando pela experiência de atravessar uma pandemia e todas as mudanças necessárias para adotar o isolamento social podem se transformar em grandes descobertas, que vão além da ciência.

O home office, por exemplo, apesar de não ser uma novidade, foi testado apenas agora por grande parte das companhias. Essa metodologia foi aprovada e deve ser incorporada por muitas delas na era pós COVID-19.

A dbm contact center, por exemplo, está localizada em Curitiba, no Paraná, e atua no desenvolvimento de soluções para o setor de terceirização de centrais de relacionamento. Esse segmento é avaliado como essencial, porque é o responsável pela comunicação entre grandes marcas e seus clientes – inclusive para fornecer orientações durante o surto do novo Coronavírus – e, por isso, não pode parar.

Com 1.600 funcionários, a dbm colocou seu plano de ação em prática em tempo recorde e mandou para casa quase toda a equipe. Mesmo antes do isolamento social se tornar uma recomendação por parte das autoridades de saúde, a empresa conseguiu transferir 1.300 colaboradores para o trabalho remoto em apenas 72 horas, já na primeira quinzena do mês de março.

Após um mês de experiência com a nova modalidade, a dbm contact center já avalia a possibilidade de acatar o home office como uma medida permanente.

“A pandemia nos mostrou que o home office é uma tendência promissora para o nosso segmento. Colocamos 95% do nosso time em casa por conta do isolamento social e constamos que, em razão da nossa expertise e tecnologia, a produtividade continua a mesma, senão melhor. Além disso, muitas empresas podem entender que o custo para alugar um imóvel para abrigar operações de atendimento também pode ser diminuído consideravelmente com o home office”, diz Kelwin Willin, gerente comercial da dbm contact center.

E as vantagens do trabalho remoto ultrapassam a questão da produtividade operacional. O home office está em sintonia com os valores da sociedade contemporânea, que clama por mais qualidade de vida, por um estilo de vida sustentável e ainda pela inclusão social – o trabalho remoto permite a contratação de pessoas de qualquer região do país, gerando emprego e renda para aqueles que vivem em pequenos municípios.

“O home office interfere, sobretudo, na saúde mental dos nossos colaboradores, que podem acordar mais tarde e investir na sua vida pessoal aquele tempo que passariam dentro do transporte público para se deslocar para o trabalho. A jornada de 6h é realizada no conforto do lar, o que pode ser traduzido numa otimização do tempo. Tudo isso diminui o estresse, deixa nossa equipe mais feliz e reduz o turn over, que é um  problema crônico enfrentado pelas empresas que atuam no setor de contact center. O trabalho remoto também diminuiu o absenteísmo”, analisa Willian.

Até o meio ambiente sai ganhando com o home office. Essa mudança de hábito é benéfica para o planeta, a médio e longo prazo: menos veículos circulando refletem na diminuição da emissão de gases poluentes. “Em São Paulo, o céu já responde às medidas de contenção e os moradores agora conseguem ver as estrelas porque a atmosfera está mais limpa. A qualidade do ar melhorou, de acordo com as plataformas de monitoramento e secretarias de meio ambiente de São Paulo. O mesmo aconteceu na China e na Itália. Esses divulgaram recentemente quedas notáveis na emissão de poluentes no primeiro mês de distanciamento social”, comenta o gerente comercial da dbm contact center.

Expertise em home office atrai o olhar do mercado

Outro efeito positivo do home office na dbm contact center é o reconhecimento do mercado. Muitas empresas que hoje se responsabilizam pelo departamento de relacionamento com o cliente estão de olho no know how da companhia curitibana e já estão pensando em terceirizar esse serviço. “Muitas vezes, as empresas estão presas aos modelos de trabalho in loco, com Infra e suporte local, não têm ou não conhecem tecnologia e processos suficientes para conseguir transferir toda sua área de call center para o home office. Por isso, contratar a dbm é uma solução viável  e rápida neste momento em que a recomendação é o confinamento”, conta Kelwin Willian.

Ele acrescenta que essa nova demanda, fruto da necessidade do isolamento social, por causa da escalada do novo Coronavírus, deve ampliar a atuação da dbm contact center no mercado num futuro próximo. “As empresas viram que continuamos atendendo 100% nossa carteira de clientes, o que aumentou a procura por nossos serviços. Já estamos negociando novos contratos e, por conta disso, devemos contratar mais 200 colaboradores nos próximos meses”, finaliza Kelwin Willian.