Concerto de piano Gurdjieff – De Hartmann

O público de Curitiba terá, no próximo dia 21 de novembro, na Capela Santa Maria, a oportunidade rara de apreciar um conjunto significativo de peças para piano elaboradas pelo filósofo armênio Georges Gurdjieff e pelo compositor e pianista ucraniano Thomas De Hartmann.

O concerto “De sons e terras distantes” é promovido pelo Coletivo PIANOVERO e pianistas convidados, que executarão 40 dessas peças compostas no início do século 20.

A pianista e diretora musical do projeto, Vera Di Domenico, explica que a descoberta do  repertório foi recente em sua vida, mas foi uma espécie de “amor à primeira audição”, o que a motivou a elaborar o projeto.

Como são obras pouco conhecidas, principalmente no Brasil, a busca por partituras foi difícil, mas ela conseguiu boa parte do material através de contatos com um dos mais renomados intérpretes dessas peças, o pianista francês Alain Kremski, que morreu aos 78 anos de idade, em dezembro do ano passado, além de Niket Jones do País de Gales (seguidor dos Movimentos Gurdjieff e Osho) e Amiyo Devienne (instrutora das danças e Movimentos Gurdjieff e Osho pelo mundo todo).

“Há muitos anos, quando eu estudava na Alemanha, havia ouvido falar dp repertório, mas só o conheci de fato mais recentemente. A obra é tão emocionante, bela, delicada e especial, que temos certeza de que irá tocar a todos como ela nos tocou”, afirma Vera, que no ano passado dirigiu projeto com a obra Vexations, de Eric Satie, realizada pelo Coletivo PIANOVERO, em eventos de 24 horas no Teatro Guaíra e na Oficina de Música de Curitiba.

Obra – As peças apresentadas neste concerto são resultado das investigações do filósofo armênio Georges Ivanovich Gurdjieff pelo Oriente, e reúnem elementos de culturas e tradições espirituais muito antigas de regiões próximas aos mares Cáspio, Negro e Mediterrâneo, com destaque para o Sufismo.

Para Gurdjieff, a música (assim como o movimento, a exemplo da dança dos dervixes sufis), desempenha um papel central em seu sistema filosófico.

De volta à Europa, na Paris do início do século 20, ele apresentou essas músicas ancestrais ao compositor e pianista ucraniano Thomas De Hartmann, que as arranjou para o piano.

Era o ano de 1917 e De Hartmann, então com 31 anos de idade, era um músico de sucesso, tendo estudado com alguns dos maiores compositores russos da época, entre eles Rimsky-Korsakov.

O resultado desse encontro é uma coletânea de peças que se ancoram em tradições muito antigas e desconhecidas no Ocidente. Um repertório de grande beleza e profundidade.

“O concerto terá duração aproximada de duas horas e meia, com o objetivo de oferecer aos ouvintes uma coletânea significativa dessa obra”, completa Vera Di Domênico, que vem idealizando e dirigindo projetos temáticos de piano com seus alunos, ex-alunos e pianistas convidados desde o início dos anos 90, e já abordou repertórios como as Invenções e Sinfonias de Bach; O Mikrokosmos, de Béla Bartók; Obras a Quatro Mãos de Schubert; Sonatas e Interlúdios para Piano Preparado de John Cage, entre outros.

De sons e terras distantes / Coletivo PIANOVERO e Pianistas Convidados interpretam a Obra de Gurdjieff-De Hartmann para piano / Capela Santa Maria – Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro, Curitiba-PR / 21 de novembro de 2019 / 19h30 / R$20 (inteira) e R$ 10,00 (meia-entrada) à venda na Capela Santa Maria ou pelo site aloingressos.com.br