Mesa-redonda com Jac Leirner e Vera Barcellos

A produção artística nas últimas décadas será debatida por Jac Leirner e Vera Chaves Barcellos com mesa-redonda no Museu Oscar Niemeyer, nesta quarta-feira (20/06), a partir das 19h.
Gratuito, o evento terá a mediação da artista Lívia Piantavini e integra as atividades do projeto “Pintura Esférica” de Tony Camargo, viabilizado por meio do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba.

A convite do artista, a dupla participa do evento com o objetivo de discutir suas experiências artísticas ao longo das últimas décadas.

O encontro faz parte da programação de “Seleta Crômica e Objetos”, exposição que percorre 20 anos sobre a produção do paranaense Tony Camargo, em Cartaz no Museu Oscar Niemeyer até 01 de julho de 2018.

Jac e Vera são duas artistas brasileiras que sustentam um diálogo com a cena internacional, suas produções, realizadas ao longo de 50 anos, no caso de Vera; e ao longo de 30 anos, no caso de Jac; evidenciam a densidade histórica da arte brasileira na segunda metade do século 20.

Atuante desde a década de 1960, Vera alçou patamar de destaque na cena artística internacional ao representar o Brasil na Bienal de Veneza, em 1976. Sua produção múltipla e diversa pode ser caracterizada pelo campo de atuação ampliado na capacidade de perceber o que lhe circunda.

Em 2004, Vera Chaves Barcellos instituiu em Porto Alegre uma fundação cultural que leva seu nome, dedicada à difusão da arte contemporânea.

Jac Leirner alcançou projeção internacional na década de 1990, ao participar de exposições como a Bienal de Veneza e a Documenta de Kassel e ter obras adquiridas por instituições como o Moma, Guggenheim, Tate, Reina Sofia, também participou de importantes mostras como as Bienais de Veneza, Havana e São Paulo.

A exposição “Seleta Crômica e Objetos” é composta por pinturas, desenhos, fotografias, vídeos e objetos que combinam formas geométricas e cores vibrantes em uma sistemática ordem conceitual, na qual Tony Camargo sintetiza importantes questões poéticas da arte brasileira produzida a partir dos anos 2000.

A exposição “Seleta Crômica e Objetos” integra o projeto “Pintura Esférica”, realizado com o apoio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e com incentivo do Banco do Brasil.