E o vencedor é…

Depois de pouco mais de dois meses de competição, o Brasil conhecerá o melhor buteco de 2021. A revelação do vencedor do Concurso Comida di Buteco será nesta quarta-feira, 6 de outubro, em São Paulo, às 19h.

São 21 vencedores de várias regiões do Brasil, que a partir do tema desta edição: Raiz, deram um verdadeiro e delicioso panorama da culinária nacional. E agora, ao término da Fase Nacional, chegou a hora conhecer quem vai levar para seu buteco o ambicionado troféu de campeão do principal evento do gênero no país.

Com seu propósito de preservar e evoluir os pequenos negócios familiares chamados “butecos”, o concurso nunca precisou tanto reforçar essa filosofia como em 2021. A pandemia afetou consideravelmente o segmento, provocando o fechamento de vários estabelecimentos. A realização neste ano e todo o movimento criado para salvar o butecos foi fundamental para garantir o funcionamento de vários estabelecimentos. Por tudo isso, ao completar seus 21 anos, o Comida di Buteco mostrou que atingiu, de fato, a maioridade.

Esse é o pensamento de todos os 21 vencedores regionais. Todos destacam a importância do concurso para a retomada após um período de muita dificuldade, seja atraindo público aos estabelecimentos, seja com as vendas pelo sistema delivery ou “para levar” . Aliás, esta foi a primeira vez que o sistema hibrido foi adotado pelo concurso, motivado pela preocupação com a segurança dos fãs do Comida di Buteco em meio a pandemia, e que apresentou resultados bastante positivos.

O que não faltou mais uma vez no evento foi a criatividade. Além da preocupação com os itens de avaliação, como atendimento, temperatura da bebida e higiene, o grande charme é votar na categoria petisco. Os cozinheiros deram um verdadeiro show, com nomes e sabores variados, proporcionando pratos elaborados com os mais diferentes itens e encantando a todos. Para a escolha do melhor na Fase Nacional, foi formado um júri de 63 pessoas, que visitou todos os campeões regionais.

O Concurso Comida di Buteco é o pioneiro e o único em todo o mundo a reconhecer um ícone da cultura local em abrangência nacional. Neste ano, o concurso comemorou seus 21 anos de existência celebrando cada vez mais a culinária de raiz e as histórias de superação e empreendedorismo dos participantes.

A relação de finalistas e seus petiscos é a seguinte:

Belém (PA) – Égua Tchê – “Pão da Terra”

BH (MG) – Café Palhares – “Bochecha de porco ao vinho, vatapá de banana da terra e beterraba”

Brasília (DF) – Bem Amigos Bar – “Bolinho de Salmão”

Campinas (SP) – Eskina Bar – “Escondidinho Maluco Beleza”

Curitiba (PR) – Armazém do Espetinho – “De Lamber os Dedos”

Florianópolis (SC) – Centro Social da Cerveja – “Canoa do Portuga”

Fortaleza (CE)- O Camocim – “Melhor do Mundo”

Goiás (GO) – Bar do Chicão (Goiânia) – “Casal Raiz”

Juiz de Fora (MG) – Reza Forte – “Mineiroca”

Manaus (AM) – Quiosque Beer – ”Raízes de Cabôco”

Monte Claros (MG) – Thom Bar – “Rapunzel no sertão das raízes “encantadas”

Poços de Caldas (MG) – Rota do Petisco – “Uai Sô”

Porto Alegre (RS) – Tuim –  “Até Gaúcho Come”

Recife (PE) – Esquina do Malte(Areais) – “Minhas Raízes”

Ribeirão Preto (SP) – Empório Mobiglia – “Tá na Tábua”

Rio de Janeiro (RJ) – Boteco do Portuga (Nova Iguaçu) – “Roupa Velha”

Salvador (BA) – Forças Bar – “Mix de Raízes”

São José do Rio Preto (SP) – Bar do Cidinho – “Costeleti de batata-doce”

São Paulo (SP) – Bar do Jão – “Lascas Madeirense da Vó Encarnação”

Uberlândia (MG) – Caminho d’ Casa – “Costela Cura Cachaça”

Vale do Aço (MG) – Bar Galpão(Ipatinga) – “É a Rapa de Um e o Fucinho do Outro”