Planeje a carreira profissional

“Sua carreira é problema seu!”, enfatiza o consultor de carreira, Thiago Ayres.

Nos dias 3 e 4 de agosto, o consultor fará o curso “Planejando desenvolvimento pessoal e profissional”, no ISAE/FGV, direcionado a quem deseja criar objetivos de curto, médio e longo prazo na carreira e saber colocar em prática o planejamento.

As inscrições podem ser feitas no site: www.isaebrasil.com.br.

De acordo com ele, foi-se o tempo em que um profissional entrava na empresa e contava com um plano empresarial de cargos e salários para fazer sua carreira decolar.

Atualmente, os profissionais buscam mais do que um emprego, eles querem traçar uma trajetória profissional de sucesso – independente do porte da corporação em que se vai trabalhar e independente de cada definição pessoal de sucesso.

“O planejamento da sua vida profissional é de sua responsabilidade. Chega de terceirizar isso, ou ainda, colocar a culpa de algum insucesso nos seus chefes, no governo, na economia, nos colegas de trabalho. Independente de onde se quer chegar e por que, o planejamento é fundamental”, explica Ayres.

 “Claro que cada um de nós começa a jornada em um ponto diferente, a depender de variáveis como a família, lugar e condições nas quais nascemos, mas está comprovado que a realização na vida não depende ‘das condições que você ganhou’ mas sim, do que fez com aquelas condições que ganhou. Assim, cada um deve ter uma definição de objetivo, de sucesso, de felicidade, sem se comparar com outros – a nossa jornada é única e deve ser épica”, completa.

Cinco dicas para planejar a carreira:

  1. Não terceirize a responsabilidade pelo fracasso ou sucesso de sua carreira;
  2. Planeje a vida profissional em projetos, definindo onde chegar em curto (três meses), médio (um ano) e longo (três anos) prazo. Assuma a responsabilidade e o comando da sua jornada;
  3. Identifique atividades de desenvolvimento pessoal e profissional que deseja alcançar e designe tempo para isso;
  4. Planeje em ciclos de 12 meses, definindo tempo e dinheiro que você vai investir para concretizá-los;
  5. Acompanhe e ajuste o plano sempre que necessário durante o andamento. “Tudo bem se algo correu de forma inesperada, a vida é assim mesmo. O que não pode, é abandonar os planos – devemos, sim, readequá-los à nova realidade”, afirma.