Da universidade ao bar

Sucesso na primeira edição, em 2017, o Pint of Science – festival de divulgação científica que acontece em bares – será ampliado neste ano em Curitiba.

De 14 a 16 de maio, cinco bares da cidade sediarão bate-papos com cientistas sobre temas como ondas gravitacionais, vulcões, formigas, fractais, big data, a importância do sono, a ciência do hambúrguer, a rede social das plantas e vários outros, ligados a diversas áreas do conhecimento.

A proposta é esclarecer dúvidas, apresentar pesquisas recentes e mostrar a beleza da ciência.

Duas mil pessoas são esperadas para os três dias do festival, que acontece em 21 países. No Brasil, as atividades acontecerão simultaneamente em 56 cidades. No ano passado foram 22.

Será uma oportunidade para os curitibanos participarem de conversas descontraídas com  cientistas e entenderem melhor a dinâmica por trás das pesquisas. “No ano passado o evento ocorreu em três locais diferentes, com público excelente nas três noites. Por isso este ano aumentamos para cinco locais, de forma a atender melhor a parcela da população interessada em ciência”, diz Lauro Luiz Samojeden, professor do Departamento de Física da Universidade Federal do Paraná e coordenador do evento em Curitiba.

Samambaia, salsicha, buracos negros e outras questões

Ao longo dos três dias, serão 15 sessões de conversas, distribuídas entre os bares Cervejaria Bodebrown, We are Bastards Pub, Drakkar Beer & Food, Hendrix BrewHouse e Hop’n Roll Brewpub (veja a programação completa abaixo).

“Este ano procuramos abranger um número maior de áreas do conhecimento. Teremos pesquisadores da UFPR e da UTFPR das áreas de física, filosofia,informática, astronomia, zoologia, design e fisiologia”, disse o professor Lauro Samojeden.

Não há necessidade de inscrição prévia. A entrada é gratuita – paga-se apenas o que for consumido nos estabelecimentos – e não há emissão de certificado.

Festival – O Pint of Science nasceu em 2012, como uma iniciativa de dois pesquisadores do Imperial College London, que convidaram pessoas com Alzheimer, Parkinson, doenças neuromusculares e esclerose múltipla para conhecer os laboratórios dos cientistas e ver de perto o tipo de pesquisa que realizavam.

A partir daí, o festival se expandiu graças a uma rede de voluntários. No Brasil, a primeira edição aconteceu em 2015, em São Carlos (SP), por iniciativa da jornalista Denise Casatti, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC-USP).

http://pintofscience.com.br/

Programação em Curitiba (todas as sessões acontecerão das 19h30 às 21 horas)
Cervejaria Bodebrown R. Carlos de Laet, 1015 – Vila Hauer
14 de maio 
Histórias que formigas contam sobre nós – com Rodrigo Machado Feitosa, doutor em Entomologia e professor adjunto do Departamento de Zoologia da UFPR.

15 de maio 
Ondas gravitacionais: impactos científicos e tecnológicos – com Carlos Henrique Coimbra Araujo, doutor em Física e professor adjunto da UFPR.

16 de maio 
Os fractais na ciência, na vida e na arte – com Ricardo Luiz Viana, pós-doutor em Física e professor titular do Departamento de Física da UFPR.

Drakkar Beer & Food R. Chile, 2067 – Rebouças
14 de maio 
Desafios na conservação das abelhas urbanas – com Rodrigo Barbosa Gonçalves, doutor em Biologia e professor do Departamento de Zoologia da UFPR.

15 de maio 
Interdisciplinaridade: uma crítica filosófica – com Eduardo Salles de Oliveira Barra, doutor em Filosofia, professor do Departamento de Filosofia da UFPR e atualmente pró-reitor de Graduação e Educação Profissional.

16 de maio
A vida tem a cor que você pinta? – com Luciana Matha Silveira, pós-doutora pela Universidade de Michigan e professora da Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Hendrix Brew House 
Rua Alberto Bolliger, 721 – Juvevê
14 de maio
Por que a música fala a lingua da ciência? – com Guilherme Gabriel Ballande Romanelli, doutor em Educação e professor adjunto no Departamento de Teoria e Prática de Ensino da UFPR.

15 de maio
Uma pitada de ciência no hambúrguer – com Carlos Eduardo Rocha Garcia, doutor em Ciência de Alimentos e professor da UFPR.

16 de maio
A rede social das plantas – com Daiane Maria Pilatti, mestre em Conservação e Manejo de Recursos Naturais e doutoranda em Ecologia e Conservação,

Hop’n Roll Brewpub R. Mateus Leme, 950 – Centro Cívico
14 de maio
Vulcões:as veias abertas do planeta – com Otávio Augusto Boni Licht, pós-foutor na área de Geociências

15 de maio
Insetopia ou distopia entomológica? Por que devemos nos preocupar com o declínio nas populações de insetos? – com Ângelo Parise Pinto, doutor em Ciências Biológicas (Zoologia) e professor adjunto do Departamento de Zoologia da UFPR.

16 de maio
All you need is sleep – com Fernando Mazzilli Louzada, pós-doutor na área de Neurociência e professor associado do do Departamento de Fisiologia da UFPR.

We are bastards Pub 
Av. Iguaçu, 2300 – Água Verde
14 de maio
My precious! Novos anéis no sistema solar – com Felipe Braga Ribas, doutor em Astronomia e Astrofísica.

15 de maio
Big data e transparência: por quê isso é problema seu? – com Marcos Sfair Sunye, pós-doutor na área de Informática e professor titular na UFPR.

16 de maio
As cientistas estão chegando… – com Elisa Souza Orth, pós-doutora na área de nanomateriais.