Síria: MSF apresenta relatório chocante!

Sou doadora do Médicos Sem Fronteira há alguns anos. Recebi este relato hoje. A situação na Síria é bastante grave e pouco se faz para resolver. Quem paga? A população, principalmente mulheres e crianças. Caso você não seja doador, que tal pensar em ser?Reproduzo o que recebi do MSF:

Desde o dia 18 de fevereiro até o dia 25, após dias de bombardeios intensos, hospitais e clínicas apoiados por MSF receberam 3.700 feridos e mais de 700 mortos. A maior parte deles são mulheres e crianças. Neste período, 13 instalações médicas apoiadas por MSF também foram atingidas por bombas ou projéteis.

“Como uma enfermeira que trabalhou em conflitos extremamente sombrios, estou devastada por ouvir médicos e enfermeiras em Ghouta Oriental dizendo que têm 100 pacientes feridos e nenhum hospital, porque ele acabou de ser reduzido a escombros pelos bombardeios” diz Meinie Nicolai, diretora-geral de MSF.

A situação é devastadora. Um grande número de instalações médicas foram atingidas e danificadas ou destruídas; estradas para transferência de pacientes estão intransitáveis por causa de escombros de bombas ou por medo de bombardeios; suprimentos médicos são limitados ou totalmente inexistentes; novos pacientes não param de chegar; e médicos trabalham sem pausa, até a exaustão.

Por tudo isso, MSF insiste que o Direito Internacional Humanitário (DIH) seja respeitado. E pede que os apoiadores do governo da Síria e dos grupos de oposição armados em Ghouta Oriental usem sua influência para aliviar esta situação extrema para:

  • pausar o bombardeio para permitir uma reorganização da resposta médica;
  • permitir a evacuação médica dos pacientes mais críticos;
  • permitir que organizações médico-humanitárias independentes entrem na área para prestar assistência direta;
  • fornecer um reabastecimento maciço de medicamentos e suprimentos médicos vitais;
  • e assegurar antes, durante e após qualquer pausa na luta que as áreas civis de ambos os lados, incluindo instalações médicas, não sejam atingidas.

Graças a ajuda de pessoas como você, MSF mantém diretamente cinco instalações de saúde e três equipes de clínicas móveis no norte da Síria e tem parcerias com cinco instalações. MSF também oferece apoio à distância para cerca de 50 instalações de saúde na Síria, onde as equipes não podem estar diretamente presentes, inclusive em Ghouta Oriental.